Jardim Japonês em Buenos Aires

Dani Pádua
em 18/04/2018 às 16:57

Quem visita Buenos Aires, sabe que a cidade é cheia de atrações, não é mesmo? Já visitei a capital argentina algumas vezes, e pode ter certeza que toda vez que vou até lá, conheço algum local novo.

Uma excelente opção para passear, e até para passar algumas horas, é o Jardin Japonés de Buenos Aires.

O Jardim Japonês fica no bairro de Palermo e foi construído em 1967, quando o então príncipe herdeiro do Japão, e hoje imperador do país, Akihito visitou a cidade.

É um local público, mas a entrada ao jardim é paga. Tudo que é arrecadado é destinado à manutenção do Complexo Cultural e Ambiental Jardim Japonês, que é administrado pela Fundação Cultural Japonesa da Argentina. Ele não recebe subsídios dos governos do Japão, Argentina e Buenos Aires.

Desde 1989, a Fundação Japonesa Cultural argentina em um acordo com o Governo de Buenos Aires assumiu a gestão do Jardim Japonês e assim aumentar o alcance da cultura japonesa através de convenções feitas dentro e fora do país. Em 2004, o jardim foi declarado de Interesse Turístico pelo Subsecretário de Turismo de Buenos Aires, de acordo com o registro de nº 742 da SSTUR.

O jardim atualmente é mundialmente conhecido como o maior jardim japonês fora do Japão.

Além de árvores e plantas, o jardim possui um prédio onde funciona um centro de atividades culturais, possui um restaurante, um viveiro onde é possível comprar bonsais e possui uma tenda de artigos variados.

 

 

Bonsais no Jardin Japonés.

 

Todos os elementos do Jardim Japonês buscam a harmonia e o equilíbrio. As pontes constituem símbolos: existe uma muito curva e extremamente difícil de atravessar, chamada Puente de Dios (ou Ponte de Deus), que representa o caminho para o paraíso.  Outra ponta é a Puente Truncado que conduz à “ilha dos remédios milagrosos”.

 

 

No jardim são encontradas árvores autóctones como a Tipuana tipu e a Paineira, e também uma grande variedade de plantas japonesas, entre elas a famosa Sakura, o Acer Palmatuny e as azaleias. O lago possui uma grande quantidade de carpas de diversas cores, as quais podem ser alimentadas mediante comida balanceada que é adquirida no jardim.

O Jardim Japonês é o local ideal para quem procura tranquilidade. É ideal para passar algumas horas desfrutando de tudo que possui. Também possui um restaurante impecável para desfrutar do melhor da cultura culinária japonesa. Muitas pessoas escolhem simplesmente o sushi, mas também possui outros itens deliciosos da cozinha japonesa. A experiência é incrível à noite, tornando-se um momento único. Você pode optar por mesas no estilo japonês, onde é necessário tirar os sapatos. A iluminação fraca, a decoração minimalista e um serviço cuidadoso fazem com que os visitantes os escolham sempre.

Sugestão da casa: peça uma mesa perto da janela e deixe seus sentidos levá-lo à construção de uma memória inesquecível.

 

 

Como chegar ao Jardin Japonés:

 

Possui muitas linhas de ônibus que param perto. As linhas são: 10, 15, 37,59, 60, 67, 93, 95, 102, 108, 118, 128, 130, 141, 160 e 188. Sendo que as linhas 67, 102 e 130 param na porta.

O metrô fica a oito quarteirões: Linha D/ Plaza Italia (cor verde).

Dependendo de onde estiver, vale a pena ir caminhando. Por a cidade ser plana, facilita muito.

 

Endereço:

 

Av. Casares 2966, Bairro: Palermo- Buenos Aires

 

Contato:

 

Telefones: (5411)48044922/ (5411)48049141

 

Informação:

 

Segunda á sexta das 10h às 18h.

 

E-mail: reports@jardinjapones.org.ar

 

Horário de funcionamento:

 

10h às 18h. Todos os dias, incluindo sábado, domingo e feriados.

 

Visitas Guiadas:

 

Sábados, domingos e feriados visitas guiadas gratuitas às 11 horas. Visitas (guiadas ou gratuitas) para instituições, escolas, grupos de 3º idade ou grupos de turistas. Apenas com reserva prévia via e-mail.

 

Valores:

 

– 120 pesos.
– Crianças menores de 12 é gratuito (apresentando ID e acompanhado de uma maior, sem exceção.
– Idosos acima de 65, aposentados e pensionistas livres (apresentando credenciais ou recibo de pagamento e de identificação, sem exceção).

 

Observação:

 

Uma vez por semana (incluindo um sábado por mês), residentes argentinos têm entrada gratuita apresentando documento de identificação.

Não é permitido entrar com comida. Piqueniques não são permitidos dentro do Jardim Japonês.