La Sebastiana: a casa de Pablo Neruda em Valparaíso

Dani Pádua
em 27/02/2018 às 15:55

Pablo Neruda nasceu em Parral no Chile em 12 de julho de 1904 e foi um dos principais escritores do Chile e da América Latina. Seu nome verdadeiro era Neftalí Ricardo Reys Basoalto.

Em 1943 foi eleito senador do Chile, onde criticou muito o presidente da época, Gonzáles Videla e com isso passou a ser perseguido pelo governo e foi exilado na Europa.

Suas principais obras são: “Cem Sonetos de Amor”, “Os versos do capitão”, “As uvas e o vento, Crepusculário”, dentre diversas outras.
Durante o governo do socialista Salvador Allende, foi designado embaixador na França. Doente, retornou ao Chile em 1972. Em 23 de setembro do ano seguinte, morreu de câncer de próstata na Clínica Santa Maria de Santiago (Chile).

Ele deixou três casas no Chile que hoje são museus, onde “La Sebastiana” é uma delas.

 

 

História de La Sebastiana

 

Em 1959, Pablo Neruda morava na casa La Chascona em Santiago do Chile e começou a sentir cansaço da cidade. Então resolveu pedir ajuda a duas amigas para encontrarem uma casa para ele em Valparaíso, pois era uma cidade bastante tranquila.

Ele disse: “Eu sinto o cansaço de Santiago. Quero encontrar em Valparaíso uma casinha para viver e escrever calmamente. Tem que ter algumas condições. Não pode ser muito alto ou baixo. Deve ser solitária, mas não em excesso. Vizinhos, esperançosamente invisíveis. Eles não devem ser vistos ou ouvidos. Original, mas não desconfortável. Muito elegante, mas firme. Nem muito grande nem muito pequeno. Longe de tudo, mas perto do movimento.  Independente, mas com comércio nas proximidades. Também tem que ser muito barato. Você acha que posso encontrar uma casa assim em Valparaíso”?

Parte interior de La Sebastiana.

 

Este foi o pedido que Pablo Neruda havia feito às amigas Sara Vial e Marie Martner. Parecia difícil encontrar uma casa que satisfizesse as aspirações do poeta, mas depois de muita procura, elas encontraram a casa La Sebastiana no cerro Florida. A casa foi construída pelo espanhol Sebastian Collado, que alocou todo o terceiro andar para um aviário. Don Sebastian morreu em 1949 e aquela casa inacabada cheia de escadas foi abandonada por muitos anos.

Pablo Neruda gostou muito da casa, mas achou que era muito grande. Resolveu convidar Marie Martner e seu marido Francisco Velasco para morarem com ele. Ele acabou ficando somente com os dois andares de cima da casa que tem uma linda vista da baía, principalmente no ano novo, e por isso Neruda assistia os fogos dali e o resto da casa ficou para o casal.

Durante os três próximos anos, a La Sebastiana, que foi nomeada como uma forma de homenagem à Sebastián Collado terminou de ser construída em um formato que se parece muito com um barco.

Na independência do Chile 18 de setembro de 1961, o local foi oficialmente inaugurado com uma grande festa. Pablo Neruda até escreveu um poema intitulado La Sebastiana para essa ocasião.

Durante a ditadura militar no país, depois de sua morte a casa foi saqueada e se deteriorou. Em 1999 La Sebastiana foi restaurada completamente e no mesmo ano o museu foi inaugurado.

 

Museu La Sebastiana

 

Quem visita ao museu irá encontrar  várias coleções de mapas antigos, de pinturas marinhas entre elas um retrato de Lord Cochrane e uma pintura a óleo que mostra José Miguel Carrera pouco antes de ser baleado.  Existem muitas outras relíquias portuárias e peças curiosas, como caixas de musica e um antigo cavalo de estilo alegre, esculpido em madeira.

Os cômodos da casa foram remontados para mostrar como Pablo Neruda vivia na casa.

O grande destaque da visita ao museu é a vista. Vale muito a pena esperar para assistir ao pôr do sol.

La Sebastiana possui um sistema de áudio-guia. Este novo sistema, que está incluído na taxa de admissão, está disponível em inglês, francês, português, alemão, italiano e espanhol.

A  visita às Casas do Museu da Fundação Pablo Neruda não requer reserva prévia. A entrada é feita por ordem de chegada e está sujeita à disponibilidade de lugares por dia. Apenas as visitas à escola devem ser reservadas com antecedência.

Dani Pádua no museu.

 

 

Informações sobre o Museu La Sebastiana:

 

Horário de visitação:

 

Valores:

 

* Estudantes estrangeiros devem apresentar carteira de estudante internacional.

 

 

Endereço:

 

 

 

Observação:

 

La Sebastiana está afastada de outros pontos turísticos da cidade. Então é aconselhável pegar um táxi, ou um ônibus até lá. Claro, para quem gosta de conhecer a cidade a pé, é válido. Só importante ressaltar que é numa subida.